Liberação do FGTS e a Gestão dos Projetos

Recebemos nos últimos dias a notícia que poderemos sacar o saldo de contas inativas do FGTS. As contas inativas são aquelas de empregos anteriores onde saímos voluntariamente, ou seja, onde pedimos demissão.

É normal buscarmos novos caminhos na carreira, porém ficar preso em uma empresa em função do FGTS é “pensar pequeno“. Muitos tentam os famosos acordos com as empresas, o que é ilegal, mas nem sempre conseguem.

O fato é: Este dinheiro fica preso em uma conta por muito tempo, rende pouco e só podemos usar em casos bem específicos. Considerando ainda as recentes mudanças na previdência, indicando que dificilmente poderemos nos aposentar, este dinheiro acaba ficando pra muitos inacessível a vida toda.

O que fazer com este dinheiro

Legal, você tem um saldo e vai fazer o saque em 2017, mas o que fará com ele? Alguns vão pagar dívidas do rotativo do cartão de crédito (onde os juros beiram aos 500%aa). Outros vão pagar contas e aliviar o orçamento, investir em novos bens e, poucos, pensam em investir em algo que renda mais daqui um tempo.

O governo, teoricamente, espera que a população faça um bom uso disso, mas infelizmente a maioria não tem um mínimo conhecimento em gestão financeira. Qual você acha que será o provável destino deste dinheiro? Será que vai mesmo melhorar a vida das pessoas ou apenas dar mais dinheiro a empresários através de pagamento de dívidas?

O mais importante nisso tudo é que você precisa ter um controle do seu orçamento. Precisa gerenciar seus gastos, suas despesas e precisa ser proporcional ao seu estilo de vida. É de forma parecida que fazemos na Gestão de Projetos.

Controle de Custos em Projetos

Você tem uma demanda, uma necessidade e, pra isso, inicia um projeto. Para ele, você receberá uma carga financeira (vamos dizer seu FGTS) e precisará usar sabiamente este recurso. Infelizmente para muitos o dinheiro é limitado, então precisamos controlar seu uso. Se você estourar seu orçamento, precisará arrumar mais dinheiro, provavelmente diminuindo o Tempo de Retorno do Investimento (ROI) do produto do projeto ou ainda criando dívidas para viabilizá-lo.

Não precisamos ir a fundo no Gerenciamento de Custos para saber que você precisa concluir seu projeto com saldo positivo. Mas da mesma forma sabemos que é impossível você concluir um projeto da forma como você planejou. O que fazer então?

Conhecendo seu escopo e seus limites

Você não vai somente buscar entender e se aprofundar no que você deseja mas, sim, definir um escopo com suas respectivas restrições. Se seu objetivo é ter um carro pra ir até o trabalho diariamente, você pode usar tanto um fusca quanto uma ferrari. Chegará no destino da mesma forma mas com custos finais bem diferentes.

Conhecer seus limites é fundamental pra saber onde quer chegar, mas não falo apenas de limite financeiro mas sim de conhecimento. Se você só sabe dirigir carros, adianta você comprar um avião? Se você nunca pilotou uma moto, adianta cortar o orçamento e comprar uma?

Gestão de Riscos e de Custos são fundamentais para o sucesso do projeto. 

Problemas ao não controlar o orçamento

Ao saber seus limites, terá uma ideia melhor do que precisará fazer para atingir o objetivo do seu projeto. Apesar disso, você não deve usar tudo o que tem. Você usa 100% do seu dia, ou seja, 24 horas, para trabalhar? Então porque usará 100% do seu orçamento no seu projeto?

Pergunte pra quem construiu  ou reformou um casa. Quem nunca fez um orçamento, viu que sobraria uma grana e, ao invés de guardar este dinheiro, gastou em algo a mais para a casa?

O que geralmente acontece? Surge algum problema na obra e, por falta de dinheiro, a obra é interrompida e o lustre mais caro acaba ficando guardado por meses. Pior ainda se o dinheiro vier por empréstimo.

Você termina a obra, tem a falsa sensação de que o projeto foi um sucesso porém a dívida ficará por meses (ou anos). Quantas notícias você já leu de pessoas que perderam suas casas por dívidas, muitas vezes dívidas com a própria casa?

Conclusões e bom uso do FGTS

Procure ver seu FGTS como uma Reserva de Contingência da Administração. 

Normalmente você não teria acesso a ele facilmente, porém agora com ele liberado, precisa saber como usar.

Se pretende pagar dívidas (estouros em projetos) ou acertar contas e comprar coisas novas (corrigir problemas e aumentar escopo dos projetos), pode significar que você errou no seu planejamento e precisa rever isso, caso contrário, se não tratar estes erros, irá cometê-los novamente.

Se você está com um planejamento melhor e seus projetos estão em dia, que tal aplicar em algo melhor? Vale tanto um investimento que gere renda, formação ou viagem mas algo que traga valor pra você. Conforme o valor, crie um projeto! Faça um bom planejamento, caso contrário este valor extra pode se transformar rapidamente em dívidas.

Espero que tenha gostado do artigo e que deixe seus comentários! E ai, já planejou onde vai investir seu FGTS? Abraços e obrigado pela leitura!