PMBOK 6ª Edição: Agora com Agile! (The End of MiMiMi)

Assim como na informática temos a discussão Apple X Microsoft e seus fanáticos defensores, quando falamos em Gestão de Projetos também temos times torcendo para lados diferente. Temos:

  • Aqueles que tratam o PMBOK® como bíblia e linguagem universal da Gestão de Projetos
  • Os Agilistas que acusam (indevidamente) o PMBOK® de ser uma porcaria por ser waterfall (não é bem assim!)
  • E aqueles que acreditam que podem utilizar o melhor de todos os métodos para ter uma melhor gestão de projetos: Os ‘de boa’ com as práticas.

Em um artigo anterior falei sobre a futura 6ª edição do Guia PMBOK®. Como você sabe, a cada 3 anos o PMI (Project Management Institute) renova o seu Guia, inserindo novos processos, práticas ou correções, visando manter o material sempre atualizado e aderente ao mercado atual.

Todas estas mudanças são aprovadas e desenvolvidas com um processo baseado em consenso, ou seja, visam garantir que todas as partes interessadas neste Guia possam participar, interagir e opinar sobre o que deve constar neste material.

Até o dia 6 de abril todos tiveram a oportunidade de enviar sugestões para o PMI incluir ou ajustar no PMBOK® e cada sugestão foi avaliada individualmente, onde além de receber uma resposta direta, caso não concordasse poderia abrir um recurso.  Agora, na próxima fase, mais restrita, o Comitê do PMBOK® irá avaliar todas as participações mas sempre em prol de ter um material que atenda a maior parte dos projetos. Nesta fase não receberemos retorno diretamente e apenas uma parcela poderá participar.

Certo, mas qual a grande novidade do Guia PMBOK® 6ª Edição?

Primeiro de tudo, nesta edição darão mais ênfase na palavra “Guia” (PMBOK® Guide, lembram?).

O PMBOK® apresenta conceitos chave, práticas, ferramentas e técnicas para gestão de projetos. Ou seja, o “que fazer”. Já a ênfase no termo Guia que teremos nesta versão será como utilizar estas ferramentas e técnicas para atingir o sucesso nos projetos. Ou seja, o “como fazer”.

Agora que fica interessante! Lembram-se da galera que é contra o PMBOK, achando ele burocrático, engessado e outros argumentos que não são bem verdade? Pois bem.
As mudanças principais no PMBOK estarão relacionadas à detalhar mais os métodos ágeis e práticas iterativas! Teremos dois pontos principais:

  • Informações sobre práticas ágeis utilizadas em ambientes adaptativos em CADA área de conhecimento (seções 4 à 14)
  • Inclusão de um apêndice contendo um padrão para gerenciamento de projetos utilizando métodos ágeis e outras práticas iterativas.
  • Um novo capítulo inteiro dedicado ao papel do gerente de projetos de acordo com o novo PMI Talent Triangle, com ênfase em questões estratégicas e de negócio.

Sem dúvidas é um grande passo para o PMI. Uma mudança de conceito que certamente facilitará e muito a adoção de práticas ágeis e híbridas nas empresas. Afinal, o PMBOK é desenvolvido com aprovações de centenas de profissionais desde 1983! Olha só o peso desta mudança!

E sobre o Exame para a Certificação PMP?

As mudanças estão previstas para apenas o 1º semestre de 2018. Não tirou a sua certificação PMP? Hora de correr! Afinal, todo o material disponível hoje para estudos é baseado na versão atual do PMBOK. Ao lançarem a nova versão levará um tempo considerável até que todos os materiais de estudo estejam atualizados.

Já o lançamento do PMBOK 6ª Edição está previsto para o 1º Trimestre de 2017.

 

Espero que tenham gostado da novidade e que isso ajude a unir ainda mais os times ágeis e tradicionais em busca do objetivo que todo gerente de projetos tem: Entregar um projeto com sucesso sem o MiMiMi de qual prática é a melhor ou correta!

 

Fontes:
Foundational Standards Exposure Draft Process – PMI.ORG

PMBOK Guide – PMI.ORG

Café com Scrum