Proibição do Waze e a relação com a Gestão de Projetos

Nesta semana recebemos a notícia da aprovação de um projeto de lei que proibirá o Waze no Brasil. Mas qual a relação do Waze com o Gerenciamento de Projetos? É o que vamos falar neste artigo.

No dia 30/09 a  Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) da Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei nº 5596, de 2013, do deputado Major Fábio (PROS-PB) que visa proibir aplicativos e redes sociais que alertem os motoristas da localização de blitz no trânsito. Esta decisão pode ter influência direta no Waze, já que uma das principais funcionalidades do aplicativo é notificar a situação do trânsito – e com isso também os postos policiais, radares e bloqueios.

Além disso o mesmo projeto obrigará as redes sociais como Facebook, Twitter e outras a bloquear ou apagar mensagens que tenham o objetivo de apontar onde está acontecendo uma blitz.

Waze e o Gerenciamento de Projetos

Todos que trafegam no trânsito das grandes – e pequenas – cidades provavelmente já usaram o Waze ao menos uma vez. Ele é um aplicativo que, com o auxilio do sinal de GPS indica não somente o caminho no trânsito mas também a melhor rota, mostrando as principais dificuldades que você poderá enfrentar no trânsito – e como sair delas.

waze

Waze, mostrando a melhor rota para fugir no trânsito por conta de um acidente. Note também a indicação de polícia em uma rua próxima. Fonte da Imagem: Carplace

Mas qual a relação do Waze com o Gerenciamento de Projetos? Quando você insere no aplicativo o endereço de onde quer chegar, o Waze identifica a melhor rota de acordo com todos os obstáculos registrados e identificados, além de informações históricas de trânsito. Além disso acompanha você ao longo de todo o trajeto, monitorando a situação até o destino e fazendo as mudanças conforme os novos alertas e ocorrências acontecem no seu trajeto.

Todas as informações são inseridas com colaboração dos usuários. Quando ocorre um acidente, um usuário do Waze registra a ocorrência e o Waze utiliza a informação para replanejar o trajeto das pessoas que estão se dirigindo para as proximidades. O acidente sendo resolvido, ou seja, os veículos removidos e a estrada liberada, os usuários do Waze nas proximidades indicarão que o acidente não está mais lá, informando ao Waze que pode voltar a sugerir a rota para aquela região.

Processo do Gerenciamento de Projetos e o Waze

Percebeu os processos e atividades do gerenciamento de projetos? Podemos citar por exemplo:

  • Definição do Escopo: Você está em um lugar e quer chegar em outro. Qual seu objetivo?
  • Gerenciamento de Riscos: Quais são os riscos já identificados? Eles ainda são válidos? Qual a previsão de liberação de uma rua por conta de um evento ou acidente? O risco ocorreu?
  • Engajamento das Partes Interessadas: Os dados são fornecidos manualmente ou automaticamente por todos ao redor do seu trajeto. O trânsito ficou lento? O aplicativo recebe a informação e repassa aos demais. Aconteceu alguma ocorrência? Está chovendo? As partes interessadas informam e os que estão a caminho poderão se preparar. A informação válida e de qualidade ajudará a todos. E mais: um pode agradecer o outro pelo alerta, assim como pode indicar que ele já não é mais válido.
  • Monitoramento e Controle: O trajeto ainda é o melhor? Aconteceu algo que pode melhorar ou piorar o andamento do seu “Projeto Viagem”? Tenho que fazer alguma mudança, uma parada ou um desvio? Encontrei algum erro no trajeto não previsto e preciso de uma solução de contorno?
  • Controle de Mudanças: Vou pra esquerda e pra direita? Qual o melhor caminho? Virei na rua errada e agora, não tem mais volta? Claro que tem. O Waze recalcula sua rota quando você erra ou resolveu passar em algum outro lugar conhecido antes. Com projetos também é assim.

Conclusões

Assim como o Waze, você precisa olhar para o seu projeto como um todo! Não podemos apenas focar onde queremos chegar. Temos que nos preocupar com todo o contexto e o caminho até o nosso destino. O projeto não é uma linha reta com tudo previsto e tudo perfeito. Você enfrentará dificuldades a cada instante e precisará se adaptar para lidar com elas.

Quando enfrentamos uma dificuldade, podemos lidar com ela de duas maneiras: Enfrentá-la e buscar a melhor solução ou parar tudo e jogar fora. Esta é a proposta do tal projeto de lei. Como o Governo não consegue lidar com a índole das pessoas que utilizam a ferramenta para fins ruins, é mais fácil proibir tudo.

Poderíamos proibir também todas as redes sociais, já que os traficantes utilizam para vender suas drogas. Aliás, será que não é melhor proibir a internet inteira, já que temos tanta gente ruim acessando a rede e prejudicando os outros? O caminho mais fácil nem sempre é o melhor caminho.

waze_fogueira

Vamos todos sair da internet, acender uma fogueira e cantar felizes e esquecer todos os problemas do mundo… Fonte da imagem: Wesley Porfírio

Com ou sem Waze, iremos nos adaptar. Provavelmente o Waze irá remover a opção de indicar onde existe polícia no trajeto. Irá resolver o problema da blitz mas prejudicará quem precisa de socorro e quer olhar o aplicativo para ver se existe algum policial nas redondezas. Decisões assim prejudicam uma maioria por conta de uma minoria.

 

No seu próximo projeto, adote a mentalidade do Waze: Não trate tudo a “ferro e fogo”. Esteja preparado para mudanças e acompanhe todo o andamento do projeto de forma proativa e integrada com sua equipe. A colaboração de todos no Waze é o que garantiu o sucesso da ferramenta – e a colaboração da sua equipe garantirá o seu sucesso.

Espero que tenham gostado do artigo e que o Waze não seja proibido! Deixem seus comentários sobre o assunto. Ah, e se beber, não dirija (nem edite seu cronograma). Abraços!